A vez das Madrinhas

Chegou a hora da sua melhor amiga casar, mas ela não vai passar por isso sozinha! Ela precisa de você madrinha para ajudá-la durante todos os preparativos, para enxugar as lágrimas de felicidade e para pegar o bouquet no final!

O seu vestido deve refletir sua personalidade, valorizar seu corpo e, muitas vezes, agradar a noiva! Portanto vou contar para vocês alguns dos vestidos de madrinhas que a estilista Mariana Biasi desenhou para vocês. 

Azaléia

O vestido Azaléia é rosê e sua modelagem delineia a silhueta de maneira elegante. Ele possui bordados de pedraria e Swarovski, em todo o busto e barra do vestido com desenhos de flores e arabescos. A flor que o nomeia simboliza a feminilidade, a perseverança e a felicidade.

Dália

A flor Dália é delicada e de bleza sutil, assim como o vestido que leva seu nome. Todo em seda, seu caimento é leve e fluido, e o decote valoriza as costas da madrinha. As flores do bordado são feitas em linha e são destacadas por pedrarias. Um vestido elegante e cheio de estilo.

Cravo 

Assim como as noivas que usam curtos, dependendo do tipo da cerimônia as madrinhas também podem usar um vestido curto. Essa é a proposta do vestido Cravo, que é ajustado ao corpo e possui uma saia volumosa. Ele também possui flores bordadas em linha destacando sua modelagem. A flor significa respeito, admiração e amor - tudo o que uma madrinha deve desejar aos noivos!

Iris

Frequentemente associada à coragem e sabedoria, a flor íris representa este vestido que valoriza a mulher brasileira. Sua seda é bordada por pedraria e flores em linha, dando vida ao modelo. O decote de um ombro só é renovado pela manga curta e destaca o colo de maneira sutil.

Enfim, depois de tanto erro passado
Tantas retaliações, tanto perigo
Eis que ressurge noutro o velho amigo
Nunca perdido, sempre reencontrado.

É bom sentá-lo novamente ao lado
Com olhos que contêm o olhar antigo
Sempre comigo um pouco atribulado
E como sempre singular comigo.

Um bicho igual a mim, simples e humano
Sabendo se mover e comover
E a disfarçar com o meu próprio engano.

O amigo: um ser que a vida não explica
Que só se vai ao ver outro nascer
E o espelho de minha alma multiplica...
— Vinicius de Moraes

Um beijo e um brinde às queridas madrinhas!

Marina Cid